Grafite, um toque especial na decoração

Os grafites estão pelos centros urbanos de todo o mundo. Geralmente, da porta para fora de casa. Mas essas letras, desenhos, manifestações artísticas, coloridas ou não, estão cada vez mais entrando nos lares dos brasileiros. Muitas vezes são destaque nos ambientes, substituindo quadros e papéis de parede.

A arquiteta Nicole Finkel explica que antes de decidir pelo estilo do grafite e o profissional que fará a execução, é importante analisar o estilo do morador. Assim, é possível entender se obra deve expressar figuras abstratas, frases, desenhos de filmes ou mesmo séries famosas.

“Tudo tem a ver com o gosto e a personalidade do morador e onde o grafite será aplicado. Tenho um projeto que o grafiteiro fez em uma tela branca com um quadro e colocamos na parede da sala de jantar. Assim, se o cliente decidir mudar de casa, pode levar. Tenho também uma parede inteira de um apartamento”, diz a arquiteta.

A arquiteta Karina Korn também acha que a escolha é muito pessoal. “Não adianta pintar uma caveira se o dono da casa gosta de corações. escolher o que será pintado e onde é muito importante. Não dá para não gostar e mudar depois”.

Para não errar na mão e deixar o ambiente pesado e com muita informação, Nicole Finkel indica que apenas uma parede receba o grafite. O ambiente precisa estar em harmonia com o todo, para que os moradores não se cansem do desenho. “É bacana que os móveis tenham linhas retas e cores clean, como o branco”.

Representações - Karina ressalta que os grafites podem representar o que quisermos, basta uma boa conversa com o artista. É possível conseguir desde tons neutros, para os que querem correr menos risco, até a verdadeira arte urbana dentro de casa.

“Grafite está muito na moda, é tendência. Surgiu lá atrás, na década de 70, e desde lá vem criando novos formatos de apresentação. A arte revela o estilo de vida de cada um, é pessoal. O grafite entra na mesma sintonia”.

Fonte: revista.zapimoveis.com.br/grafite-um-toque-especial-na-decoracao